Notícia

Tropeiro de Ouro é lançado em evento de gala no Memorial da Imigração Holandesa

sexta, 06 de março de 2020
A cerimônia de lançamento do Prêmio Tropeiro de Ouro foi realizada na noite de quinta-feira, no Moinho da Castrolanda

O evento de lançamento do Prêmio Tropeiro de Ouro, realizado na noite de quinta-feira (5), foi marcado pela emoção dos homenageados e pela presença de representantes dos mais diversos segmentos, de Castro e cidades vizinhas. A cerimônia aconteceu no Memorial da Imigração Holandesa (Moinho da Castrolanda), onde se reuniram representantes das empresas homenageadas, em geral, seus fundadores e/ou sucessores, a personalidade indicada para receber o prêmio, familiares, colaboradores e um público empolgado para prestigiar os premiados.

A iniciativa, de promover um evento para reconhecer a contribuição de empresas e de pessoas para com o desenvolvimento da cidade, e o seu histórico e trajetória, é fruto de uma parceria entre a Associação Comercial e Empresarial de Castro, o Sindicato do Comércio Varejista de Castro (Sindicastro) e o Sindicato Rural de Castro. Juntas, as diretorias destas três entidades indicaram os nomes, que posteriormente foram aprovados em votação, dos representantes de cada categoria premiada. Assim, se chegou aos indicados desta primeira edição do prêmio Tropeiro de Ouro. 

Na categoria Agronegócio, a empresa homenageada foi a Chácara Marujo. O fundador, Jan Haasjes, ao receber o prêmio mencionou o fato de não ter nascido no Brasil, afirmando que aqui foi acolhido, e que assim, sentia-se ainda mais incumbido na vocação de contribuir com o progresso. “Aqui achei uma nova pátria, e não poderia fazer menos, deveria colaborar para o desenvolvimento deste país”. Jan também agradeceu a sua equipe de trabalho, à quem dedicou a homenagem conquistada. “Este lugar que alcançamos não foi trabalho de um homem só, mas sim de uma equipe inteira, que trabalha com entusiasmo, sem vocês essa conquista não teria sido possível", destacou. 

Já na categoria Comércio, a empresa Caramcar foi a homenageada desta edição. Altair Tavares, que fundou a empresa em 1981, recebeu o troféu enaltecendo a iniciativa, que segundo ele, serve de motivação para a continuidade do empreendimento. “Este evento nos traz uma motivação muito grande, para darmos continuidade ao que foi feito até hoje, e para continuarmos acreditando que tudo é possível. Para chegar onde chegamos hoje, foi preciso muito trabalho, muito esforço e dedicação”, afirmou. Altair também mencionou a presença da família, a quem chamou de sucessora das atividades, e agradeceu aos colaboradores da empresa, pela dedicação e empenho diário. 

Representando a categoria Indústria, a Watanabe Indústria e Comércio de Máquinas foi a homenageada da noite. Em nome da empresa, os sócios Eliane e Milton Watanabe receberam o prêmio. Ao se pronunciar, Milton elogiou a forma usada para a indicação das empresas e personalidade premiadas, e na sequência, dedicou o troféu aos seus pais. “Eles foram realmente heróis para nós, meu pai foi migrante japonês, trabalhava no Japão numa fábrica de armamento militar, numa cidade que era o segundo alvo da primeira bomba atômica, e seria o primeiro da segunda bomba, ou seja, ele escapou duas vezes, depois, minha mãe, além de todo sacrifício que fez para chegar em Castro, com a morte do meu pai também tomou frente de tudo, e sozinha aqui em Castro, conseguiu se manter de pé”. 

Na categoria Prestador de Serviço, a empresa indicada foi o Escritório Contábil Tiago. Seu fundador, Jacobus Petrus Jean Lamers, ao receber o troféu Tropeiro de Ouro comentou sua rotina de trabalho, e dedicou o reconhecimento, aos seus funcionários, familiares, seus e dos colaboradores e aos clientes. “Esta homenagem a mim não fica muito coerente, vou pedir permissão pra vocês para fazer uma divisão [...] com os colaboradores, que exercem sua profissão com muita responsabilidade - o grande mérito de tudo isso é dos meus funcionários que aqui estão, minha gratidão por vocês”, citou ele destacando também a compreensão das famílias, quanto as ausências causadas pela rotina de trabalho, e, os clientes, a quem chamou de essência. 

A personalidade indicada para receber o prêmio, em sua primeira edição, foi o agropecuarista e engenheiro agrônomo Frans Borg. Em seu discurso, ele também mencionou a família, sua esposa Ângela Borg e Deus, e falou da importância de se colocar os talentos próprios à disposição de contribuir com a comunidade onde se está inserido. “Todos nós recebemos talentos, alguns conseguem exercer, evoluir com eles, e outros não, Deus me deu muitas oportunidades, algumas eu consegui abraçar. O que precisamos na verdade é, se recebermos talentos, dividi-los com a sociedade, se podemos ser úteis para a sociedade com os talentos que recebemos, porque não?”, questionou. Com o troféu em mãos, Frans Borg também fez uma dedicação. “Quero dividir essa homenagem com todos os castrenses aqui presentes, com os meus amigos e com todos aqueles que me apoiaram”, finalizou. 

O evento também contou com o pronunciamento dos presidentes das entidades realizadoras – Anderson Gomes, da Acecastro, Marioli Simão, do Sindicastro e Eduardo Medeiros Gomes, do Sindicato Rural. Primeiro a falar, Anderson Gomes destacou a força do associativismo, e mencionou a união das entidades para a promoção do evento. Falou também da contribuição dos homenageados para com a cidade, e afirmou que “o prêmio Tropeiro de Ouro veio para ficar”. 

Marioli Simão também citou cada um dos representantes das empresas homenageadas e afirmou “eles não fizeram sucesso a vida inteira, tiveram que fazer a sua própria vida, e construir a sua própria história”, destacou. E, por fim, o presidente do Sindicato Rural de Castro, Eduardo Medeiros Gomes, falou da iniciativa de promover a homenagem e chamou o prêmio de importante reconhecimento.

Fonte: Comunicação Acecastro